Bom Dia! Segunda-feira, 25 de Junho de 2018.
 Home

   

A PARÁ-OIKÍA (PARÓQUIA) DO CRISTÃO

          O cristão utiliza os vocábulos "paróquia, pároco, paroquiano" sem talvez se dar conta de todo o alcance desses termos. Na verdade, são portadores de profundo significado.

          Com efeito, paróquia vem do grego pará-oikía,o que significa "casa ou posada (oikía) ao lado (pará)". Tal é a tenda que o viandante ergue quando faz uma parada na estrada para repousar; não entra na cidade, mas acampa ao lado (ou fora) da cidade, porque não é cidadão da mesma, nem pretende ali fixar residência; ele quer ir adiante; por isto é paróikos.

          O vocábulo é muito caro à linguagem bíblica: o povo de Deus e cada um dos seus membros são tidos como viandantes ou peregrinos sobre a terra, em demanda da Cidade Definitiva, cujo Arquiteto e Construtor é o próprio Deus (Hb 11,10). O autor da epístola aos Hebreus chega a dizer: Não temos aqui uma cidade estável, mas procuramos a futura (Hb 13,14). Com muito acerto o cristão percebe que este mundo não pode ser o destino supremo do homem; as contradições aqui existentes acenam a uma realidade melhor, em que o Bem e o Mal serão reconhecidos como tais. Consciente disso, São Pedro se refere aos tempos da nossa paroikía, vocábulo que se traduz geralmente por "exílio": Portai-vos com temor durante o tempo da vossa paroikía (1Pd 1,17). Na verdade, a cidadania do cristão está nos céus, donde ele espera ansiosamente o Salvador, que o levará para a glória (Fl 3,20).

          As mesmas convicções se expressam nitidamente na literatura cristã dos primeiros séculos. Assim, as Atas do Martírio de São Policarpo (+156) saúdam os leitores destinatários com as palavras: A Igreja de Deus que é pároca em Esmirna á Igreja de Deus que é pároca em Filomélio. "Ser pároco", no caso, significa "ser viandante acampado a caminho da meta definitiva". Esse mesmo documento refere-se a todas as paróquias (assentamentos de caminheiros) da Igreja Católica. Um pouco mais tarde, no século III, um cristão anônimo escrevia a Diogneto, dizendo-lhe: Os cristãos habitam a sua pátria, mas como pároikoi (viandantes). De tudo participam como cidadãos, mas tudo suportam como estrangeiros. Toda terra estrangeira é pátria para eles, e toda pátria lhes é terra estrangeira (5,5).

          Tal vocabulário passou para a linguagem católica posterior, mas foi perdendo o seu significado originário tão importante. É oportuno reavivar nos cristãos a consciência de que tudo passa neste mundo: passa a figura deste mundo (1Cor 7,31). Isto não dispensa os fiéis, pároikoi de trabalhar zelosamente na construção de um mundo melhor, mas abre horizontes, e ajuda a olhar para o futuro que trará a resposta cabal aos anseios dos homens, resposta que nenhuma obra meramente terrestre, por mais bela que seja, jamais poderá propiciar.
 

 Voltar