Bom Dia! Terça-feira, 11 de Dezembro de 2018.
 Home

   


Pe. Emerson Correr CSS
vocacional@estigmatinos.com.br
25/04/2005 - Tema: Vocação

Visualizações desta matéria: 151
Comente ou veja os comentários desta matéria (0)


BÍBLIA E VOCAÇÃO (3ª. PARTE)

MAS, O QUE É VOCAÇÃO?

OLHANDO AS PRIMEIRAS COMUNIDADES

O Novo Testamento, seguindo as indicações do Antigo Testamento, fala claramente do chamado de Deus dirigido às pessoas que fazem parte da comunidade. Não há um tipo de chamado a pessoas isoladas, fora da comunhão, fora da participação, vivendo por conta própria. O apelo de Deus chega SEMPRE e SOMENTE para quem já se encontra plenamente vivendo na vida da comunidade.
A Igreja é uma comunidade de pessoas cada qual com seus dons, talentos. Isso significa que nela todos e cada um, de um modo especial, tem uma determinada missão a cumprir em benefício de todos.
O Novo Testamento fala, com muita clareza, das diferentes funções dentro da comunidade. Aqui o Espírito Santo distribui a cada um ministério e dom, sempre em vista do bem comum
Na comunidade cristã do Novo Testamento, cada pessoa tem seu lugar específico, sua função própria, sua missão bem determinada:
"Ora, vocês são o corpo de Cristo e são membros dele, cada um no seu lugar. Aqueles que Deus estabeleceu na Igreja são, em primeiro lugar, apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres... A seguir vêm os dons dos milagres, das curas, da assistência, da direção e o dom de falar em línguas. Por acaso são todos apóstolos? Todos profetas? Todos mestres? Todos realizam milagres? Têm todos o dom de curar? Todos falam em línguas? Todos as interpretam?" (cf. I Cor 12, 27 – 30).
Deve-se, portanto, levar em conta o fato de que "Deus dispôs cada um dos membros no corpo, segundo a sua vontade" (I Cor 12, 22), de que quis, para que não haja divisão para o bem comum de todos.
É também verdade que não se concebe a missão, como dito acima, sem que seja destinada ao bem, à utilidade de todos (cf. I Cor 12, 7).

A MISSÃO NA IGREJA

 MISSÃO DOS LEIGOS E LEIGAS:
A vocação dos cristãos leigos e leigas é uma afirmação de que nada do que foi criado por Deus deve ser considerado coisa profana, uma vez que tudo brotou de sua bondade e criou "todas as coisas".
A vocação dos leigos e leigas é fazer levar toda a Igreja a entrar em plena comunhão com o mundo e a humanidade, de forma a trabalhar pelo bem de todas as pessoas.
• É portanto missão dos leigos e leigas:
• Defender a vida;
• Fazer da família o primeiro espaço para o crescimento da sociedade;
• Exercer a solidariedade;
• Fazer acontecer o respeito da pessoa humana e torná-la o centro da vida.

 MISSÃO DA VIDA CONSAGRADA:
Por seu estilo e seu agir, a Vida Consagrada (uma forma específica de seguimento de Cristo pelos votos de Pobreza, Castidade e Obediência), é chamada a lembrar com freqüência à Igreja e a humanidade que "não temos aqui cidade permanente, mas estamos à procura da cidade que está para vir" (cf. Hb 13, 14).
A Vida Consagrada é chamada a lembrar que "tudo é bom" (Gn 1, 9.31), desde que coloca sob o único domínio Daquele que é o único Senhor da Vida (Gn 2, 16 – 17), Deus.
Em outras palavras: a Vida Consagrada é chamada a ser sinal da necessidade de estarmos voltados para o Senhor, nosso único Absoluto, e, por isso mesmo, capazes de tornar presente, no aqui e no agora de nossa história, o Reino de justiça, paz, solidariedade, fraternidade e amor.

 MISSÃO DO MINISTÉRIO ORDENADO:
A missão dos ministros ordenados (diáconos, padres e bispos) é servir a comunidade, segundo o modelo do Bom Pastor que "da a vida por suas ovelhas" (Jo 10, 11). É o animador e coordenador de toda a comunidade.
O jeito de governar e dirigir não tem aqui nada a ver com a forma "mundana" que estamos acostumados a ver:
"Faço uma admoestação aos presbíteros que estão entre vocês, eu que sou presbítero como eles, testemunha dos sofrimentos de Cristo e participantes da glória que vai ser revelada: cuidem do rebanho de Deus que lhes foi confiado, não por imposição, mas de livre e espontânea vontade, como Deus o quer; não por causa do lucro sujo, mas com generosidade; não como donos daqueles que lhe foram confiados, mas como modelos para o rebanho. Desse modo, quando aparecer o supremo Pastor, vocês receberão a coroa de glória que não murcha" (cf. I Pd 5, 1 – 4).
Trata-se de uma autoridade e de um poder que significa, essencialmente, aquele que serve a todos.

CONCLUÃO

Sabemos que a vocação é essencialmente amor. A vocação é amar. A pessoa humana é um ser no amor e para o amor.
A resposta do homem, a resposta da mulher torna-se uma resposta de amor ao AMOR que chama.
O ato de assumir uma vocação específica é o desejo de responde fielmente ao amor divino que:
ATRAI (Jo 6, 44),
SEDUZ (Jr 20, 7) e
CONQUISTA (Os 2, 16).

Todavia, como nos mostram os relatos de vocação na Bíblia, ao responderem ao chamado de Deus a pessoa abraça uma missão não em seu favor mas em favor da comunidade.


Pe. Emerson Correr, CSS
Promoção Vocacional
Estigmatinos


Veja outras matérias de Pe. Emerson Correr CSS...
30/10/2005 - Vocação - APROFUNDANDO - PARTE I
20/09/2005 - Vocação -
CONFUSÃO ENTRE VOCAÇÃO E PROFISSÃO*
29/06/2005 - Vocação -
VOCAÇÕES? DE QUEM É A RESPONSABILIDADE?
08/06/2005 - Vocação -
PROFISSÃO OU VOCAÇÃO?
18/05/2005 - Vocação -
"MARIA, ÉS FELIZ PORQUE ACREDITASTES!"
25/04/2005 - Vocação -
BÍBLIA E VOCAÇÃO (3ª. PARTE)
12/04/2005 - Vocação -
BÍBLIA E VOCAÇÃO (2ª. PARTE)
27/03/2005 - Vocação -
BÍBLIA E VOCAÇÃO (1ª. PARTE)
15/03/2005 - Vocação -
"OS BARULHOS SÃO MAIS ATRAENTES"
04/03/2005 - Vocação -
MAS, AINDA HÁ VOCAÇÕES?
23/02/2005 - Vocação -
O Padre que nós precisamos pode estar em sua casa!

 Voltar